O (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) instaurou inquérito civil para apurar o fechamento de leitos na e no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.

O processo é conduzido pela promotora Daniella Costa da Silva, da 32ª Promotoria de Justiça de Campo Grande, e tem como requeridos a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e SES (Secretaria Estadual de Saúde).

Segundo o edital, o objetivo da promotoria é apurar a “que tem refletido diretamente na superlotação dos prontos socorros e retenções de macas, o que acaba por retardar o encaminhamento dos pacientes das UPAS para os hospitais”.

O documento pontua que em setembro de 2022, as secretarias de saúde se reuniram com a 76ª Promotoria de Justiça da Saúde Pública e diante dos problemas enfrentados, restaram deliberadas a otimização da transferência de pacientes internados nas UPAs e CRSs para hospitais e redução do tempo de espera por transporte de pacientes com vagas já autorizadas em hospitais, diante da constante superlotação de Prontos Socorros.

Já existe um inquérito aberto em andamento que investiga possíveis irregularidades na retenção de macas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) pela Santa Casa, HRMS e o Hospital Universitário.