A Prefeitura de declarou deserta a licitação de R$ 19,7 milhões que visa conter inundações na Avenida Ernesto Geisel. As empresas não tiveram interesse em concorrer à disputa. A informação consta no Diogrande desta quarta-feira (30).

Segundo o edital publicado no Portal da Transparência, a licitação tinha como objetivo contratar uma empresa responsável por controle de inundações e processos erosivos no Córrego Anhanduí, na Capital.

A publicação de abertura da licitação foi feita no Diário Oficial de Campo Grande do último dia 17 de agosto. O valor total que o município pretendia pagar era de R$ 19.716.493,54.

Obras

A promessa é assim que “cair” o dinheiro do Novo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do para a continuidade das obras do Complexo Anhanduí, na Avenida Ernesto Geisel, tudo pare de despencar e o córrego flua sem levar o trabalho dos servidores e o dinheiro público rio abaixo.

A de no Rio Anhanduí, que corta Campo Grande pela Ernesto Geisel, faz parte do pacote de 14 obras anunciadas no último dia 11 de agosto. Segundo divulgado pelo Planalto, será realizada prevenção a desastres com contenção de encostas e drenagem do Complexo Anhanduí, Cabaça e Areias.

O projeto de revitalização do Anhanduí é de 2011 e teve duas licitações e uma ordem de serviço assinadas e canceladas em 2012. Em 2014, também fracassou a segunda tentativa de licitação.

Calculou-se que seria preciso R$ 68 milhões para executar o projeto desde a Avenida Mato Grosso até o final da Avenida Ernesto Geisel, no Aero Rancho, com R$ 28 milhões de contrapartida.