Um empresário de São Paulo é investigado por caçar animais silvestres em Mato Grosso do Sul. Ele é alvo de inquérito civil instaurado pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e publicado nesta terça-feira (24).

Conforme o inquérito civil, Juliano Martins Cabral é empresário e mora em Sorocaba (SP). Em abril deste ano, ele foi flagrado com um casal de mutum-de-penacho, ave silvestre citada em listas de espécies ameaçadas de extinção.

Abordado pela equipe da Polícia Militar, o empresário assumiu a autoria dos abates e disse que possuía registro de caçador, emitido pelo Exército, até 2031.

Além disso, apresentou autorização de Controle de Espécies Exóticas Invasoras. Contudo, a caça é liberada para animais como javali e javaporco.

Além das aves, um barco e motor foram apreendidos. O homem foi encontrado com duas armas de fogo e mais de 60 munições.

Segundo o auto de infração do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), o empresário “praticou caça com abuso de autorização concedida, a qual é válida apenas para espécies exóticas invasoras”.

Então, o MPMS abriu inquérito civil para apurar “ilícito ambiental consistente em abater animais da fauna silvestre brasileira, sem licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida, cometido, em tese, por Juliano Martins Cabral”.

O processo foi recebido pelo promotor de Justiça, Alexandre Rosa Luz, da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Bela Vista de MS.