A previdência dos servidores públicos municipais de terá um déficit de R$ 98,8 milhões em 2023. Esta é a estimativa contida na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) enviada pela prefeita Adriane Lopes à Câmara Municipal de Campo Grande na última quarta-feira (13), dia que antecedeu o feriadão da Páscoa. Esse déficit será oriundo de uma receita na ordem de R$ 382,7 milhões, ante uma despesa de R$ 481,6 milhões.

Orçamento prevê receita de R$ 5,4 bilhões e despesas subindo

Apesar do déficit preocupante, a previsão de orçamento para 2023 é a maior de todos os tempos e deve atingir o valor de R$ 5,4 bilhões, ou seja, são R$ 500 milhões a mais que o valor registrado para este ano. O problema, de acordo com as próprias informações contidas no documento, é que as despesas se elevam na mesma velocidade. Dos R$ 5,4 bilhões em receitas, 25% vão para a educação, 15% para a saúde. As despesas com o pagamento dos servidores públicos devem oscilar entre 51% e 54%.