Em meio à 'relicitação' da CCR, ANTT autoriza construção de viaduto da BR-163, em MS

Obra será no trecho entre Campo Grande e Anhanduí
| 02/03/2022
- 11:49
Em meio à 'relicitação' da CCR, ANTT autoriza construção de viaduto da BR-163, em MS
Divulgação

A (Agência Nacional de Transportes Terrestres) autorizou a implantação de um viaduto na rodovia BR-163, administrada pela concessionária CCR MS Via, no trecho de Campo Grande ao distrito de Anhanduí. A decisão consta em portaria publicada no desta quarta-feira (2), pelo Ministério da Infraestrutura. 

Segundo o documento assinado por André Luís Macagnan Freire, superintendente de Infraestrutura Rodoviária, a empresa responsável pelas obras será a construtora Plaenge. O viaduto deve ser construído na altura do quilômetro 485. 

“Caberá à MSVia acompanhar e fiscalizar a execução do projeto por ela aprovado e manter atualizado o cadastro das instalações, atentando-se para o cumprimento dos parâmetros contratuais e à segurança dos usuários, sujeitando-se às penalidades cabíveis”, afirma a publicação.

Consta ainda que caberá à Plaenge observar as medidas de segurança recomendadas pela MSVia, responsabilizando-se por danos ou interferências com redes não cadastradas e “preservando a integridade de todos os elementos constituintes da rodovia”.

‘Relicitação’

A CCR venceu em 2013 o leilão para administrar a BR-163 em Mato Grosso do Sul. A empresa alega ter investido bilhões na rodovia, mas as obras de duplicação não avançaram como o esperado. O Governo do Estado chegou a solicitar a revisão do contrato e, em contrapartida, a concessionária consultou a ANTT demonstrando interesse em uma relicitação.

A relicitação consiste numa forma de rescisão contratual amigável, abrindo a possibilidade de novos ajustes nos termos, como por exemplo, a participação de outras empresas na gestão. A CCR já disse que cumprirá todas as obrigatoriedades no trecho da rodovia no Mato Grosso do Sul, mas não participará da relicitação por vedação legal.

Veja também

Serviço de locação do buffet custará R$ 49,5 mil ao Tribunal

Últimas notícias