Política / Transparência

Pedro Gomes e Santa Rita do Pardo pedem prorrogação de calamidade por Covid-19

Prefeitos alegam que economia continua enfraquecida

Adriel Mattos Publicado em 01/05/2021, às 21h52

Vista aérea de Pedro Gomes.
Vista aérea de Pedro Gomes. - Foto: Edemir Rodrigues/Subcom-MS

As prefeituras de Pedro Gomes - no norte do Estado - e de Santa Rita do Pardo - na região sul - pediram a prorrogação do estado de calamidade pública até 30 de junho. Os projetos de decreto legislativo já estão tramitando na Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul).

Como os efeitos do decreto anterior expirou em 31 de dezembro de 2020, as propostas vão retroagir a 1º de janeiro deste ano. O motivo ainda é a pandemia de Covid-19, que ainda impacta nas economias locais.

[Colocar ALT]
Santa Rita do Pardo. (Foto: Chico Ribeiro/Subcom-MS)

Os pedidos foram acatados pela Mesa Diretora da Assembleia, que justificou que os municípios enfrentam “aumento recente dos números de casos” e que a vacinação ainda está na primeira fase.

Em ofício enviado à Casa de Leis, os prefeitos de Pedro Gomes, William Fontoura (DEM); e de Santa Rita do Pardo, Lúcio Costa (Podemos), argumentam que ambas as cidades não têm perspectiva de melhora e a vacinação ainda não reduziu a curva de contaminação.

Segundo boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Pedro Gomes tem 435 casos confirmados e 11 mortes causadas pela doença. Já Santa Rita do Pardo contabiliza 393 confirmações e seis óbitos.

As matérias ainda devem passar pelas comissões antes de serem aprovadas em plenário. Para vigorar, o decreto deve ser publicado no Diário Oficial da Alems. 

Das 79 cidades, 21 já tiveram o decreto prorrogado. São elas: Deodápolis, Água Clara, Porto Murtinho, Bodoquena, Nova Alvorada do Sul, Jardim, Rio Verde de Mato Grosso, Glória de Dourados, Três Lagoas, Aparecida do Taboado, Laguna Carapã, Douradina, Rio Brilhante, Ivinhema, Naviraí, Terenos, Ladário, Costa Rica, Batayporã e Campo Grande.

Jornal Midiamax