Política / Transparência

Diminuição de internações por Covid faz Sesau reduzir contrato de oxigênio em 45,97%

Contrato passou de R$ 10,9 milhões para R$ 5 milhões, de acordo com extrato

Mayara Bueno Publicado em 14/09/2021, às 12h15 - Atualizado às 12h29

Secretaria de Saúde de Campo Grande
Secretaria de Saúde de Campo Grande - (Foto: Jornal Midiamax, Arquivo)

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande) diminuiu o preço do contrato com a Girogaz Comercial de Oxigênio, empresa que venceu pregão para fornecimento de cilindros em junho deste ano. Na ocasião, a previsão era necessária devido ao aumento de casos de Covid-19 e colapso no sistema de saúde. 

Contudo, o atual cenário, com redução de internações, controle da pandemia, vacinação e demanda real menor do que a esperada, fez com que, de R$ 10.978.938,50, o convênio passasse para R$ 5.047.987,50, de acordo com extrato divulgado no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande). 

Na tabela disponibilizada no edital, quando foi aberto, foram citadas para receberem os cilindros as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) do Coronel Antonino, Moreninha, Universitário, Vila Almeida, Santa Mônica, Leblon, além dos CRS (Centro de Referência em Saúde) do Nova Bahia, Aero Rancho, Coophavila II, Tiradentes.

O valor estimado para compra era de R$ 11.218.493,09. Na justificativa, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) relatou que foi feita compra em 2020. Contudo, "em decorrência do agravo da pandemia causada pela Covid-19 no primeiro trimestre de 2021, o consumo de oxigênio medicinal nas unidades de saúde da Sesau, sobretudo naquelas que atendem aos casos de urgência e emergência, aumentou exponencialmente", apontou na ocasião. 

Jornal Midiamax