Política / Transparência

Prefeitura de Campo Grande abre licitação para concluir obra da UBSF do Santa Emília

Foi aberta licitação para contratar empresa que concluirá a UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Jardim Santa Emília, em Campo Grande. O aviso foi divulgado no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta sexta-feira (11). Com o edital indisponível no Portal da Transparência, não foi divulgado ainda o valor estimado da concorrência. As […]

Mayara Bueno Publicado em 11/12/2020, às 10h05 - Atualizado às 14h48

UBS Santa Emília, com obra parada há 4 anos (Google Street View)
UBS Santa Emília, com obra parada há 4 anos (Google Street View) - UBS Santa Emília, com obra parada há 4 anos (Google Street View)

Foi aberta licitação para contratar empresa que concluirá a UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Jardim Santa Emília, em Campo Grande. O aviso foi divulgado no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta sexta-feira (11).

Com o edital indisponível no Portal da Transparência, não foi divulgado ainda o valor estimado da concorrência. As propostas deverão ser entregues às 9 horas de 14 de janeiro de 2021, na sala de reunião da Diretoria-Geral de Compras e Licitação, localizada na Avenida Afonso Pena, nº 3.297, Paço Municipal.

Em abril deste ano, o Ministério da Saúde assinou aditivo de R$ 1,2 milhão para conclusão da unidade. A obra está parada desde 2016 por falta de recursos. O projeto também já foi auditado pela CGU (Controladoria-Geral da União). Na ocasião, os técnicos verificaram superfaturamento de R$150.787,75 por serviços não executados pela construtora GT Serviços e Construções Ltda. Financiada com recursos federais por meio do Convênio nº 1.228/07/FNS, já foram destinados outros R$ 1.507.922,25 para a construção.

A UBS, ainda não concluída, fica entre a Rua Boanerges Lopes e a Rua Santa Bertília. À época, a prefeitura estipulou prazo de 9 meses para a construção no espaço de 9.118 metros quadrados. A previsão era de que três equipes, cada uma composta  por um médico, um enfermeiro e um dentista, atendendo a comunidade do bairro. O prédio seria dividido em sete consultórios, sala de vacina, de curativo, de triagem, além de uma sala de reunião.

Jornal Midiamax