Política / Transparência

MP-MS investiga seis casos de servidores suspeitos de receber sem cumprir expediente

O MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) instaurou seis novos procedimentos para apurar o cumprimento de jornada de trabalho de servidores da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul). A investigação preliminar apura, entre eles, se um servidor da Casa de Leis recebe salário de assessor parlamentar sem exercer qualquer atividade, sendo […]

Maisse Cunha Publicado em 07/02/2019, às 08h34 - Atualizado às 15h29

(Foto: Wagner Guimaraes/ALMS)
(Foto: Wagner Guimaraes/ALMS) - (Foto: Wagner Guimaraes/ALMS)

O MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) instaurou seis novos procedimentos para apurar o cumprimento de jornada de trabalho de servidores da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul).

A investigação preliminar apura, entre eles, se um servidor da Casa de Leis recebe salário de assessor parlamentar sem exercer qualquer atividade, sendo “funcionário fantasma”. A abertura dos procedimentos foi publicada em Diário Oficial nesta quinta-feira (7).

Esse é o segundo caso de suposto funcionário fantasma no Poder Legislativo Estadual investigado pela 31ª Promotoria de Justiça de Campo Grande, em uma semana. As investigações são sigilosas.

No primeiro caso, a promotoria investiga caso de uma servidora nomeada em 2011. Em nota, a Casa de Leis havia informado que a servidora desempenhava suas funções regularmente e esteve à disposição do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral), auxiliando no cadastramento biométrico.

Jornal Midiamax