Promotor pede exonerações para prefeitura não virar ‘negócio de família’

Prefeito teria contratado filho de secretária
| 21/07/2017
- 18:51
Promotor pede exonerações para prefeitura não virar ‘negócio de família’

Prefeito teria contratado filho de secretária

Promotor de Justiça do MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) Thiago Bonfatti Martins usou a expressão ‘negócios de família’ para classificar a atitude do prefeito Francisco Júnior, de Rochedo, distante 81 quilômetros de Campo Grande, e recomendar a exoneração de um servidor contratado sem concurso como psicólogo por configuração de . A recomendação foi publicada no diário oficial do órgão desta sexta-feira (21).Promotor pede exonerações para prefeitura não virar 'negócio de família'

O prefeito teria contratado em cargo comissionado um psicólogo que é filho da Secretária de Assistência Social da cidade. Na recomendação, o promotor afirma que “novamente, em total desrespeito à Constituição Federal” o prefeito teria violado a vedação de nepotismo na cidade,

“Tal conduta praticada pelo Prefeito Municipal confere à Administração Pública traços de um verdadeiro ‘negócio de família’, pois, valendo-se do poder que ostenta, favoreceu parente de sua Secretária Municipal de Assistência Social, cargo de confiança nomeado livremente pelo Chefe do Poder Executivo”.

A recomendação pede que o prefeito regularize a questão, exonerando o servidor em até dez dias e que informe à promotoria no mesmo prazo se cumpriu o pedido.

O Ministério também adverte o prefeito de que o descumprimento da recomendação ‘ensejará a adoção das medidas administrativas e judiciais cabíveis, em caso de omissão e manutenção da situação’.

A reportagem do Jornal Midiamax tentou contato com o prefeito de Rochedo, mas as ligações não foram atendidas. 

Veja também

Empresa deverá fornecer o avião e pessoal para execução do serviço

Últimas notícias