Política / Transparência

MPE investiga ex e atual prefeitos de Rio Verde de Mato Grosso por fraude

Ambos têm contas e documentos julgados irregulares

Evelin Cáceres Publicado em 14/04/2015, às 11h23

None
capa_rvmt.jpg

Ambos têm contas e documentos julgados irregulares

O MPE (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) instaurou dois inquéritos civis para investigar a antiga e a atual gestão da prefeitura em Rio Verde de Mato Grosso, distante 194 quilômetros de Campo Grande, segundo publicação desta terça-feira (14) no Diário Oficial do órgão.

William Douglas de Souza Brito (ex-prefeito), Valéria Câmara Simioli (ex-secretária Municipal de Saúde) e Conceição Vaz da Silva (ex-secretária Municipal de Saúde) são investigados pelo emprego de recursos repassados ao município por entidades vinculadas ao Ministério da Saúde, no período de janeiro de 2011 a novembro de 2013.

A investigação dará continuidade às irregularidades já encontradas pela Controladoria-Geral da União, segundo o relatório de demandas externas (RDE) nº 00211.000626/2012-82.

Mario Alberto Kruger, atual prefeito, e Allison Vaz Bedoja (pregoeiro) são investigados por suposta fraude no Processo Licitatório nº 099/2013 – Pregão Presencial nº 014/2013, quando teriam manipulado documentos e a montagem processual, detectadas no relatório de demandas externas (RDE) nº 00211.000626/2012-82 da Controladoria-Geral da União. Rio As duas investigações serão conduzidas pela promotora Fernanda Proença de Azambuja.

Declarações irregulares

No início deste mês o TCE-MS (Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul) julgou irregulares declarações de contas também da antiga e atual gestão. Foi aplicada multa de 100 Uferms (R$ 2.091,00) ao ex-prefeito Willian Douglas de Souza Brito e multa de 100 Uferms ao atual prefeito de Rio Verde, Mário Alberto Kruger por não encaminhar documentos.

Ambos também foram condenados a pagar multas de 300 Uferms (R$ 6, 273.00) ao ex-prefeito Wiliam Douglas de Souza Brito e aplicação de multa no valor de 300 Uferms (R$ 6,273,00) ao atual ordenador de despesas, o prefeito Mário Alberto Kruger, por omissão no encaminhamento das prestações de contas dos convênios nº 13/2010, nº 01/2010, nº 012/2010. 

Jornal Midiamax