Em menos de duas semanas, 21 licitações estão suspensas

Ao completar 13 dias de administração nesta terça-feira (8), o prefeito de Alcides Bernal (PP) já suspendeu 21 licitações abertas pela equipe administrativa do prefeito afastado Gilmar Olarte. Somente nesta terça, foram publicadas 11 suspensões no Diário Oficial do Estado.

Entre elas, 12 pregões presenciais (quando a empresa oferece o menor preço entre as cadastradas para compra de produtos comuns), cinco concorrências (qualquer empresa pode participar, em compras acima de R$ 1,5 milhão em caso de obras e acima de R$ 650 mil para produtos e serviços) e quatro tomadas de preço (disputa entre empresas já cadastradas na Prefeitura e valores acima de R$ 1,5 milhão para obras e R$ 650 mil para produtos e serviços).

Os pregões foram abertos para compras de carros, aparelhos de ultrassom, móveis, serviços de marcenaria, manutenção de equipamentos e uniformes de trabalho.

As concorrências, para contratação de empresa de tecnologia de informação, empresa de radares com registro de foto para multas, serviços de engenharia para manutenção da iluminação pública e até alienação de uma praça pública. Esta última, suspensa por questões administrativas, já que não provocou interesse de nenhuma empresa.

As tomadas de preço suspenderam contratação de cursos para a área médica, contratação de empresa para a elaboração de minuta do novo código tributário municipal e reforma da UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Conjunto Universitário.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) teve a maior parte de licitações suspensas. O Imti (Instituto Municipal de Tecnologia da Informação), a Agetran (Agência Municipal de Trânsito), a Semre (Secretaria Municipal de Receita) e Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação) também tiveram compras canceladas. 

Durante as comemorações do Dia da Independência nesta segunda-feira (7), Bernal anunciou que vai olhar detalhadamente todos os contratos feitos por Gilmar Olarte e suspender até mesmo contratos já feitos. Com isso, ele espera economizar mais de R$ 30 milhões.