Política / Pimenta

Crise na cúpula da Polícia Civil de MS pode se espalhar e caos atingir Sejusp, alertam 'antigões' da DGPC

Denúncias graves feitas por delegados ligam servidores estaduais a suposta briga pelo controle do jogo do bicho em Campo Grande

Da Redação Publicado em 09/11/2021, às 09h33

Até os mais experientes estão assustados com grau de tensão que atingiu cúpula e rachou a PCMS
Até os mais experientes estão assustados com grau de tensão que atingiu cúpula e rachou a PCMS - (Ilustração sobre reprodução, Web)

Vem mais por aí, alertam os 'antigões' que conhecem os corredores da DGPC (Delegacia Geral da Polícia Civil). Foram longas reuniões nesta segunda-feira (8), após se tornarem públicas as suspeitas de delegados sobre envolvimento da cúpula da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul com ações para supostamente interferir na briga pelo controle do jogo do bicho em Campo Grande, os mais experientes avaliam que o clima está muito longe de acalmar.

Gente de ambos os lados avaliam que a situação causou verdadeiro racha na instituição e se preocupam com o risco de que a crise se espalhe e o caos atinja também a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública).

"O sangramento está aberto e se não estancarem logo, vai virar uma hemorragia. Tem gente de todos os lados se armando como pode e resgatando coisas do arco da velha para usar. Isso pode virar uma troca de denúncias e canibalizar a própria polícia", alertam.

Reuniões comprometedoras

Segundo quem conversa com gente dos dois lados e tenta preservar o próprio nome, documentação sobre supostas reuniões com investidores que estariam interessados em negócios locais intermediadas de forma altamente comprometedora estaria organizada para dossiê 'vazar' em grande estilo.

Revoltados com o clima de insegurança geral que se instalou, os mais experientes e cautelosos afirmam que aviso não faltou sobre o risco da queda de braço em MS.

"Quando se atinge uma atividade em apenas uma praça, sabendo que a mesma contravenção rola solta em outros municípios, onde não se pode nem sonhar em causar problema, é claro que o rojão vai estourar", pondera.

Sabendo de algo que MS precisa saber? Conta pro Midiamax!

Se você está por dentro de alguma informação que acha importante o público saber, fale com jornalistas do Jornal Midiamax!

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Você pode enviar flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax