Em 24 das 36 rodadas disputadas no Brasileirão, o Grêmio esteve entre os quatro primeiros. Destas, 23 de forma consecutiva. Pelo retrospecto positivo, o centroavante Barcos define uma ausência no grupo dos classificados para a próxima Libertadores como ‘muita injustiça’ e quer atenção para que tropeços não ocorram.

“Será um jogo muito difícil, uma final. Até porque se não ganharmos fica bastante complicado. Temos feito um ano muito bom no Brasileiro. Ficamos mais de 20 rodadas no G-4, imagina sair na última? Seria muito injusto. Sabemos que temos essa responsabilidade e vamos buscar a vitória de qualquer jeito”, afirmou.

Para ter posto definitivo no G-4 o Grêmio precisa vencer o Goiás e contar com um tropeço do Botafogo diante do Coritiba no sábado. Assim, a última rodada só definiria a posição final do time.
“O Grêmio depende só de si. O último jogo da Arena será neste domingo, e o Goiás é um adversário direto. Uma vitória nos dará tranquilidade para última partida. Por isso precisamos vencer”, completou.

Desde a 14º rodada o time comandado por Renato Gaúcho ocupa posto entre os primeiros. Oscilando entre 2º. 3º e 4º lugar, a equipe jamais perdeu uma das vagas projetadas para a próxima Libertadores. Agora, vive o momento de tentar confirmar isso.

“O Goiás é um bom time. Respeitamos muito eles, mas estamos pensando só no Grêmio. A postura tem que ser a mesma. Não queremos só o terceiro lugar, mas a segunda posição e a vaga direta na Libertadores”, completou Barcos.

O duelo com o Goiás ocorre às 19h30 de domingo. Neste sábado, os jogadores treinam pela manhã com portas fechadas na Arena.