Política / Justiça

Morre a desembargadora Marilza Lúcia Fortes, terceira mulher no TJMS

O velório está previsto para ser realizado a partir das 17 horas no saguão do Tribunal, na avenida Mato Grosso, bloco 13, no Parque dos Poderes

Arquivo Publicado em 20/09/2012, às 16h52

None
2076452675.jpg

O velório está previsto para ser realizado a partir das 17 horas no saguão do Tribunal, na avenida Mato Grosso, bloco 13, no Parque dos Poderes


Morreu no final da manhã desta quinta-feira (20) a desembargadora Marilza Lúcia Fortes, terceira mulher a ocupar o cargo no (TJMS) Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.


O velório está previsto para ser realizado a partir das 17 horas no saguão do Tribunal, na avenida Mato Grosso, bloco 13, no Parque dos Poderes.


Histórico


Marilza Lúcia Fortes ingressou na carreira em setembro de 1980 e até sua posse como desembargadora, em março de 2006, foi juíza auditora da Justiça Militar. Em dezembro de 2005, a magistrada foi empossada presidente da Associação dos Magistrados das Justiças Militares Estaduais (Amajme), sendo a segunda mulher e a primeira magistrada de MS a assumir a cadeira da presidência da Amajme desde sua criação, em 1985.

Marilza foi a terceira mulher a ocupar um assento no Tribunal de Justiça: a primeira foi a Des. Dagma Paulino dos Reis, aposentada em 1995, e a segunda é a Des. Tânia Garcia de Freitas Borges, que assumiu em 2003.

Sobre o fato de ser a terceira mulher a ocupar um dos mais altos cargos do Judiciário Sul-mato-grossense, ela interpreta o fato como uma conquista feminina. “Com o atual quadro de mulheres na judicatura de MS, creio que mais seguirão meu exemplo e da Des. Tânia em um espaço de tempo menor”, disse ela pouco antes da posse.

Em abril de 2004, a juíza recebeu o título de cidadã sul-mato-grossense por, entre tantas lutas, ter sido a primeira juíza auditora do Estado, a primeira coordenadora do curso de Direito da Faculdade de Direito de Campo Grande e ocupou o primeiro cargo de chefe de Departamento Jurídico do Sistema Penitenciário.

Depois de tantos anos à frente da Auditoria Militar, na Capital, Marilza ficou conhecida como mão dura pelos policiais. Marilza Lúcia Fortes foi uma mulher vencedora e exemplo para todos.
(Com assessoria do TJMS)

Jornal Midiamax