Pretas

A subsecretária de políticas para mulheres do Estado chamou atenção pela falta de mulheres pretas na bancada em audiência pública com a ministra das Mulheres, Mato Grosso do Sul. Cristiane Oliveira reforçou a necessidade de ter companheiras nos debates, já que mulheres negras são as que mais são violentadas.

Representação

Também não foram colocadas representantes indígenas na mesa. Estado de uma das maiores populações indígenas, MS não guardou lugar para uma mulher representar o grupo dos povos originários no debate sobre a violência de gênero.

Ministras

Entre menção sobre as mulheres de MS que já foram ministras, Adriane Lopes, repreendeu a plateia por vaias, afirmando que se tratam de ‘mulheres que se posicionam’ e pediu que elas sejam vistas sem ‘política partidária’.

Representante

Ainda em recuperação, o deputado foi representado pela esposa, Gilda. Conhecida entre os parlamentares, ela ganhou menção especial.

Farinha

A ministra Cida Gonçalves recebeu diversos presentes durante audiência na Alems. Um deles foram farinhas de Furnas. ‘Eu ia mesmo pedir para passarem no Mercadão’, comentou ao receber o presente.

Feliz com a volta

Políticos sul-mato-grossenses de direita comemoraram a volta do ex-presidente ao Brasil. Tiago Vargas, Marcos Pollon, Rodolfo Nogueira e Rafael Tavares estão entre os que ‘cobriram’ a volta de em suas redes.

Não é bem assim

O prefeito de Ivinhema, Juliano Ferro (PSDB), teve que se explicar nas redes sociais após publicar uma foto com a ministra do Planejamento, Simone Tebet. Ele foi criticado por seguidores e resolveu se explicar. “Quando o assunto se trata de buscar emendas para meu povo de Ivinhema, não vejo divisão partidária, vejo somente a necessidade de buscar recursos trabalhando todos os dias”, justificou.