Portas fechadas

O impasse para lançar um pré-candidato a prefeitura de continua no Partido dos Trabalhadores. Antes da plenária do partido, as candidatas tiveram reunião até numa e, depois, a portas fechadas por horas. E pelo visto não rolou um acordo, apesar do discurso na plenária.

‘Santinhos'

Antes da plenária parecia claro que a ex-candidata ao governo do Estado, Giselle Marques, não desistiria de disputar a chance de concorrer a cadeira da Prefeitura de Campo Grande. Equipe da petista colocou panfleto com a história dela em cada cadeira da Municipal, local que aconteceu o evento.

Reunião ‘quente'

Apesar de falarem que ‘deram um show' de união feminina no encontro do PT no último sábado (23), pelos corredores o comentário é de que a reunião a portas fechadas no gabinete da vereadora Luiza Ribeiro, antes da plenária do partido, ‘foi quente'. No palco foram só abraços e sorrisos.

Vai sair ‘frustrado'

Que o nome de é o ‘preferido' pelo PT para concorrer à prefeitura de Campo Grande em 2024 não é novidade, mas o impasse com a ex-candidata ao governo de Mato Grosso do Sul, Giselle Marques, teria ‘travado' o anúncio. Durante a solenidade, os petistas estavam ansiosos, mas Marques disse nos bastidores que ‘quem estava esperando uma disputa, sairia frustrado'.

Novo PAC

O evento de lançamento do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) conseguiu reunir vereadores, prefeitos, ministros, dezenas de autoridades, deputados estaduais e federais em um só lugar. Tucanos, petistas, emedebistas e parlamentares de outros partidos se acomodaram lado a lado no auditório da solenidade, cena que não se via há muito tempo.

Cheiro de enxofre

Ainda sobre Temer, o presidente do PT (Partido dos Trabalhadores), Vladimir Ferreira, disse que a presença do ex-presidente em Mato Grosso do Sul, ‘cheirou enxofre', em referência ao fato de que o emedebista é articulador do golpe contra Dilma Rousseff.