Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] De volta aos trabalhos legislativos

Da Redação Publicado em 04/08/2021, às 06h30

None

Saudade

O presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador Carlão (PSB), participou da primeira sessão do 2º semestre ao lado dos colegas no plenário. O lugar oficial do dirigente da Casa de Leis é na Mesa Diretora, mas, nesta manhã, preferiu ficar mais perto dos vereadores.

Reeleito 

A postura do presidente durante a sessão, de estar em 'igualdade' com os vereadores, traz diferenças, mesmo que simbólicas. Antes do recesso, ele apresentou candidatura à reeleição no comando da Mesa Diretora, referente a 2023 e 2024. Em contraste à hierarquia reforçada, permaneceu ao lado dos colegas na primeira sessão.

Não precisa nem de microfone

É comum na Câmara Municipal de Campo Grande, em toda legislatura, vereadores que falam alto em seus discursos, mesmo ao microfone. Mas tem sempre quem se supere.

Assunto 

Na primeira sessão do 2º semestre, certamente quem estivesse bem longe, poderia ouvir o vereador Marcos Tabosa (PDT), ao falar sobre requerimento da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Consórcio Guaicurus.

Traz efeitos

Os berros, mesmo que incômodos muitas vezes, fazem com que, pelo menos, as conversas paralelas no plenário sejam silenciadas. Não tem como continuar qualquer diálogo dependendo dos decibéis que a pessoa chega.

Até setembro

Ex-senador, Pedro Chaves diz que define até o próximo mês o rumo político. Ele esteve ao lado do governador nesta segunda-feira (2) e cogita ir para o PSDB, de olho nas eleições de 2022, para deputado federal.

Duas semanas

O deputado federal Vander Loubet (PT-MS) tem duas semanas para cumprir sentença em ação de improbidade que o condenou ao pagamento de multa de R$ 90,8 mil. A intimação foi publicada ontem (2). Vander foi punido em um salário como parlamentar - corrigido por juros e inflação - por fazer promoção pessoal em um espaço público, o Estádio Virotão, em Naviraí.

Faixas

O petista fixou faixas e outdoors dizendo que custeou a iluminação da praça esportiva, em 2011. O MPMS (Ministério Público Estadual) denunciou ainda o então vice-prefeito Ronaldo da Silva Botelho e o então vereador José Odair Gallo pelo caso. O segundo também acabou condenado.
Jornal Midiamax