Política / Bastidores

[BASTIDORES] Arthur, o rei da Amazônia

Da Redação Publicado em 25/10/2021, às 06h30

None

Diplomacia acima de tudo...

Só com muita sabedoria para, num Estado eminentemente rural, alguém criticar o agronegócio e ainda ser aplaudido. Em resumo, assim se deu a breve e rápida passagem do diplomata Arthur Virgílio Neto pela Capital, na última quinta (21).

... e Amazônia acima de todos

Corajoso, defendeu o plano de um eventual governo com a seguinte frase: “sei do brilho do agronegócio, mas fazê-lo no coração da Amazônia significa destruir a floresta e prejudicá-lo porque não haverá mais água”.

Construindo pontes sem derrubar árvores

Diplomata por formação, passou os 40 minutos de coletiva mordendo e assoprando a atual força motriz da economia brasileira. “O que quero fazer para ser semelhante ou maior que o agronegócio é o bionegócio, o negócio que vem da biodiversidade”.

Saudosismo cativa

Entre uma e outra cutucada, elogiou Lúdio Coelho, contou que foi ao funeral de Ramez Tebet, em Ponta Porã, e resgatou o convívio com Saldanha Derzi: “eu era de esquerda e ele me dizia: só não gosto quando o sr. vem com essa conversa de reforma agrária”.

A Amazônia é nossa

No plano de governo de AVN, a Amazônia será um dos alicerces da economia. “Assim como teve ‘O petróleo é nosso’, estamos preparando a campanha ‘Salve a Amazônia’. Ela é uma riqueza do Mato Grosso do Sul também”.

Opep das águas

Para AVN, o rio doce está prestes a se tornar ‘commodities’. “A água vai valer muito porque ela pode faltar. Um dia, quem sabe, poderíamos ter uma Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) da água”.

Fã de Greta

O tucano-ativista-ambiental revelou qual influencer está seguindo. “Quando vi a coisa apertar na pandemia, recorri ao exterior. E Greta Thumberg me ajudou. Se ela é pirralha, imagino que as pessoas sem a noção de mundo dela são sub-pirralhas”.

E de FHC também

Ativismo ecológico à parte, Arthur Virgílio falou das diretrizes econômicas que pretende adotar. “Defendo a retomada do crescimento com o tripé responsabilidade fiscal, meta inflacionária e câmbio flutuante”.

Uma vice mulher

Ao lado da esposa, Elisabeth Valeiko — que estava acompanhada da primeira-dama de MS, Fátima Silva — AVN falou do vice ideal. “A mulher terá um peso muito importante. Gostaria muito de ter uma como vice”.

Homenagem a jornalistas

O pré-candidato também saudou a imprensa presente. Dedicou a entrevista à categoria. “O Brasil é um dos países com mais assassinatos de jornalistas por ano, enquanto isso acontecer não seremos uma democracia completa”.

Jornal Midiamax