A semana foi movimentada na Câmara de Campo Grande. Nos últimos sete dias teve vereador operado e ex-vereadores brigando na Justiça pelo cargo do parlamentar afastado da Casa de Leis, Claudinho Serra (PSDB).

O vereador Edu Miranda (Avante) deu um susto nos familiares nesta semana. O parlamentar passou mal durante uma confraternização e precisou passar por uma operação no coração. Ele chegou a ficar na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital da Capital, mas recebeu alta médica e se recupera bem.

Outro assunto que está ‘dando o que falar’ é a briga na Câmara de Campo Grande. Três suplentes brigam na justiça pela vaga do vereador Claudinho Serra (PSDB), que está afastado depois de ficar preso.

Dr. Lívio Leite (União Brasil), Delegado Wellington (PSDB) e Gian Sandim (PSDB), entraram na Justiça nesta semana pelo cargo do vereador Claudinho Serra que pediu afastamento de 120 dias, após ser preso durante a operação Tromper no começo do mês de abril.

Após aguardar por mais de 20 dias uma resposta do Tribunal Regional Eleitoral, o presidente da Câmara de Campo Grande, Carlos Augusto Borges, o Carlão do PSB, resolveu convocar o suplente mais votado. A posse de Lívio chegou a ser anunciada para manhã da última quinta-feira (16), mas barrada horas antes, após Sandim entrar com um mandado de segurança.

Gian Sandim, foi o 8º colocado com 1.227 mil votos na suplência tucana das eleições de 2020 e ainda assim, conseguiu suspender a posse de Lívio Leite, até então o detentor da vaga de Claudinho. Ele alega que o parlamentar mudou de partido, mesmo sendo durante o período da janela partidária

Ainda na quinta-feira, a briga pela vaga de Claudinho ganhou mais um concorrente. O delegado e ex-vereador Wellington de Oliveira protocolou no TRE-MS um mandado de segurança como interessado em assumir a cadeira do parlamentar tucano.

Nas eleições municipais de 2020, o delegado Wellington recebeu 1.811 votou e terminou a corrida eleitoral como quinto suplente do PSDB.

Já na disputa pela vaga ocupada por Claudinho Serra, ele é o terceiro interessado. Já o presidente da Câmara de Vereadores, Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSDB), afirmou que a análise do recurso sobre o mandado de segurança deve ficar para a próxima semana. “Vou aguardar, semana que vem irei analisar”, promete.

A vaga disputada pertence atualmente ao vereador Claudinho Serra. Ele foi preso em 3 de abril, na terceira fase da Operação Tromper, e foi liberado mediante o uso de tornozeleira eletrônica em 26 de abril.