Nesta semana, a senadora Soraya Thronicke (Podemos-MS) anunciou a saída da X, antigo , em meio ao embate travado entre o dono Elon Musk e o ministro do STF Alexandre de Moraes. O empresário tem feito reclamações pela determinação judicial para suspender perfis da rede social.

Na segunda-feira (8), Soraya publicou mensagem na rede, dizendo “Vou me despedir, encontro vocês amanhã no Facebook, no Instagram, no Tik Tok, no LinkedIn, no Orkut… na esquina, no trabalho, no mercado, na feira, na praça, no aeroporto, na rodoviária, no … no mundo!”

A publicação teve resposta do deputado federal Nikolas Ferreira, que ironizou com um “Obrigado, Elon”.

Dados vazados

E-mail com dados do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, foi disparado por um hacker que se intitula como ‘Azael', nesta segunda-feira (8).

No e-mail encaminhado a várias redações de jornais pelo Brasil, incluindo o Jornal Midiamax, o hacker diz que os dados oficiais do ministro foram vazados em grupos no Telegram.

“Após diversos ataques cibernéticos contra instituições federais no país combatendo o assédio sexual nos últimos meses, deflagramos a exposição dos dados pessoais de Alexandre de Moraes contra o regime de censura no Brasil”, diz o hacker.

A mensagem traz uma série de dados do ministro, como números de telefone e endereço residencial em .

O ministro Alexandre de Moraes ainda não se manifestou após o vazamento dos dados.

Polêmica entre Moraes e Elon Musk

Desde sábado, o empresário sul-africano Elon Musk tem utilizado a sua rede social, o X (antigo Twitter), para tecer críticas ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, após a exigência da suspensão de alguns perfis na rede.

Após comentários afirmando que o ministro deveria “renunciar ou sofrer um impeachment” e pedir um “debate aberto” sobre o assunto, em sua última publicação na noite da segunda-feira, Musk se referiu a Moraes como “ditador do Brasil” e afirmou que o juiz do Supremo possui “Lula na coleira”

O embate começou no sábado (6), após o STF exigir a suspensão de contas na plataforma do bilionário. Em resposta a uma publicação de Moraes, Musk sugeriu que os bloqueios de perfis de investigados por atos antidemocráticos eram “censura” e sugeriu que não mais cumpriria determinações judiciais do gênero, pois “princípios são mais importantes do que o lucro”.

No dia seguinte, o sul-africano afirmou que mostraria como as solicitações “violam a legislação brasileira”. Também no domingo, o dono do X passou a compartilhar com seus seguidores na rede social sugestões para o uso de VPNs, um método de conexão com a internet que pode burlar o bloqueio de contas restritas por ordem da Justiça.