Superintendente da SPU-MS (Superintendência do Patrimônio da União em Mato Grosso do Sul) e pré-candidato pelo PT em Dourados, cidade distante 225 quilômetros de Campo Grande, Tiago Botelho chegou cedo à planta da JBS na saída para Sidrolândia, onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumpre agenda nesta sexta-feira (12).

Para Botelho, Lula vem para mostrar a importância do agronegócio para o governo federal. “Quando todas as pessoas falavam que o presidente Lula era contra o agronegócio, ele faz a primeira visita [do mandato atual] no Mato Grosso do Sul para fazer um aceno para o agronegócio e mostrar a importância dele”, comentou.

O petista avalia que a visita deve, também, visa diminuir a polarização em Mato Grosso do Sul. “Nós do Partido dos Trabalhadores estamos muito felizes com a vinda do presidente Lula para mostrar que é preciso parar com a polarização, nós temos que melhorar a economia. Como é que a gente melhora a economia? Impulsionando o agronegócio, impulsionando as empresas e valorizando o que tem de bom no Brasil”, aponta.

O superintendente aproveitou para criticar que Bolsonaro nunca fez um aceno igual à economia no Estado. “Hoje nós estamos mandando o primeiro lote de carne para a China, que é uma abertura de um comércio importantíssimo para o agronegócio. Se o agronegócio não entender que isso é positivo, quem vai entender, né?”, finalizou.

Agenda de Lula

Lula cumpre agenda em Campo Grande, no frigorífico JBS, às 10 horas. Informação do Planalto é de que nesta sexta-feira ocorre o primeiro embarque de carne para a China após frigoríficos serem habilitados para exportação.

Além da JBS da Capital, outros frigoríficos também foram habilitados para levar carne ao país asiático. A planta é uma das 38 habilitadas pela China para a exportação, em 12 de março. Ao todo, são 24 de processamento de bovinos, 8 de frangos, além de um de termoprocessamento e 5 entrepostos.

Antes da lista recente, o Brasil tinha 106 plantas habilitadas para a China, sendo 47 de aves, 41 de bovinos e 17 de suínos. Lula deve desembarcar na Base Aérea de Campo Grande e seguir direto, em comboio, para o frigorífico, onde a solenidade acontece às 10h.

Na JBS, megaestrutura já é montada desde a última quarta-feira (10), para o evento. A vinda a Campo Grande pode ser considerada um aceno ao setor agropecuário do Estado.