“Mantenho minha candidatura como forma de resistência, de chamamento e apelo por esse debate”, afirmou o deputado federal Geraldo Resende (PSDB) nesta sexta-feira (1º). A confirmação vem após convite para um ex-parlamentar integrar o ninho tucano e concorrer à Prefeitura de Dourados, pleitada pelo deputado.

Para o deputado, a candidatura no município, distante 225 quilômetros de Campo Grande, deve ser definida por “uma disputa de projetos, não uma disputa de pessoas”. Assim, reforçou que a pré-candidatura se mantém “como uma forma de resistência até para a gente ter espaço, para que a gente mostre nosso posicionamento nesse tipo de construção”.

Resende ainda comentou sobre convites para a pré-candidatura tucana. “A gente tem lideranças muito expressivas, nomes de peso, não precisamos importar de outros partidos. Se nós temos hoje vários postulantes, nós não precisamos importar”, disse.

Na quarta-feira (28), o deputado estadual Zé Teixeira (PSDB) contou ter chamado o ex-deputado para disputar as eleições em Dourados, a pedido do presidente estadual do partido, ex-governador Reinaldo Azambuja. O convite seria para que o ex-parlamentar disputasse pelo próprio PSDB.

Além disso, afirmou que o candidato deve ser definido pelas lideranças da cidade em questão. Para Resende, a candidatura “não pode ser imposta de cima para baixo e nem de lideranças que sejam, com todo respeito, da Capital. Tem que ser uma candidatura nascida e gestada na nossa cidade”.

Contudo, disse que não impedirá outra candidatura. “Logicamente que eu não serei empecilho para essa candidatura que represente essa vontade coletiva que eu entendo que Dourados tem nos cobrado”, pontuou.

Portanto, afirmou que pode apoiar um projeto de candidatura se “for convencido que outro membro do partido tenha mais condições de viabilizar a candidatura e de ser desse projeto vitorioso”. Por fim, ressaltou o mandato atual. “Hoje me mantenho muito bem como deputado federal, faço uma autocrítica e digo que é muito positivo”.