O ex-governador e deputado estadual Zeca do PT usou a palavra na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) nesta quarta-feira (17) para reclamar da falta de internet e sinal de celular nas estradas do Estado. E o assunto rendeu até para o proprietário do X, antigo Twitter, Elon Musk.

O parlamentar disse que esteve nas férias no Paraguai, e que por lá havia sinal de internet por todo o interior do país. “Olha o quanto nós estamos atrasados”, apontou. O deputado lembra que tem projetos relacionados ao tema na Casa que precisam de tramitação.

Em referência aos recentes ataques do empresário Elon Musk ao Brasil, João Henrique Catan (PL) usou a palavra para solicitar ao deputado Zeca que sugerisse ao presidente Lula que conversasse com Musk. “Ele tem um serviço que disponibiliza internet móvel em áreas remotas, não precisa nem de cabeamento”.

Trata-se da Starlink, serviço de internet criado pela SpaceX, que tem o objetivo de oferecer internet banda larga de alta potência, mesmo em regiões mais remotas, e que planeja lançar cerca de 12 mil satélites no espaço para atender ao serviço. No entanto, o serviço teria que ser contratado pela administração pública.

Briga de Musk com o Brasil

A briga de Musk com o judiciário brasileiro começou com críticas publicadas pelo empresário, dono do X, a decisões tomadas pelo STF (Supremo Tribunal Federal) a mando do ministro Alexandre de Moraes.

O caso teve início no dia 3 de abril, quando o escritor norte-americano Michael Shellenberger divulgou um manifesto em defesa da liberdade de expressão e contra o que classificou como censura que vem sendo praticada pelo mundo.

Um dos principais alvos do texto é o Brasil. Ele argumenta que o país está envolvido em “um caso de ampla repressão da liberdade de expressão”. Com essa declaração, o escritor fez com que Musk se pronunciasse no X, aumentando a tensão junto ao ministro Alexandre de Moraes.

O manifesto afirma que o ministro teria solicitado a intervenção de X em publicações, exigido a suspensão de contas, solicitado o ‘shadowbanning’ de publicações (bloqueio no desempenho) e acesso a detalhes pessoais de usuários que postaram hashtags conspiratórias.

Com isso, sábado (6), Musk foi à rede social dizer que “esta censura agressiva parece violar a lei e a vontade do povo do Brasil”, afirmando ainda que irá descumprir as ordens judiciais, ameaçando tirar o X do Brasil mesmo que perdesse dinheiro. “Os princípios importam mais que o lucro”, afirmou ele.