‘Me surpreendeu, sinceramente', admitiu o deputado estadual (PL) nesta terça-feira (20) ao comentar seu nome citado pelo ex-presidente durante entrevista como o candidato do partido em .

Catan foi o 12º deputado mais votado no Estado nas eleições de 2022, com 25.914 votos. Do mesmo partido, Coronel David teve 31.480 votos. Também da direita e citado por Bolsonaro, (PRTB) concorreu como candidato ao Governo do Estado e teve 612.113 mil votos.

O deputado disse que a decisão passará, ainda, pelo crivo do presidente estadual da sigla, deputado federal Marcos Pollon. “Tudo isso passa pelo meu próprio partido e respeito a hierarquia partidária. Tenho confiança desse processo. Não posso acreditar que algo estará 100% definido até o dia da convenção. Até lá estarei aqui na Assembleia exercendo o meu mandato”, avaliou.

Para o parlamentar, o assunto deve ser avaliado pela militância também. “Entendo que o Bolsonaro percebeu que é esse o sentimento da militância. Em 2018 e 2022, apoiamos candidatos e o sentimento é de que se fossem do partido, teríamos ganhado. Hoje essa é a vontade do PL. É uma oportunidade única, que tem que ser levada a campo e medida. Temos que entender qual o efeito desse anúncio para a nossa militância, de ter recebido esse chamado, sentar e entender”, finalizou.

No entanto, Catan não descarta alianças em Campo Grande. “A ministra Tereza é uma grande liderança, parceira, que está fazendo trabalho de construção muito forte do PP no Estado inteiro. Mas o PP é o partido dela. E por que nós não tentarmos? Foi o que eu disse, esse é o meu sentimento, a minha impressão. Podemos tentar qualquer tipo de composição, é [um assunto] embrionário”.

Entrevista com Bolsonaro

“Ontem estive com o Contar em Brasília, conversei também com o Catan. Tem possibilidade grande de ser ele [o candidato]. Temos que investir nas nossas candidaturas nas capitais. O Catan nos próximos dias pode ser o escolhido para essa missão”, declarou à Rádio Difusora Pantanal na última sexta, em entrevista ao jornalista e radialista B. de Paula Filho.

Também nesta semana, o presidente estadual do PL, Marcos Pollon, anunciou que o Tenente Portela, que atua no gabinete da prefeita Adriane Lopes (PP) e que é suplente da senadora Tereza Cristina (PP), vai presidir a sigla em Campo Grande.