Em nota, o vereador por , do Zico (PSDB), alvo de operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), informou que ainda não obteve acesso aos autos da , que a denúncia de corrupção passiva é infundada e, sobre o valor de R$ 88,4 mil apreendido em sua casa, a defesa do vereador diz que o dinheiro tem origem comprovadamente licita.

Operação

Equipes do (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) cumpriram mandados em Ribas do Rio Pardo na manhã desta quarta-feira (16) contra supostos desvios de repasses. As ordens judiciais foram cumpridas nas casas do ex-prefeito, José Domingues Ramos, o Zé Cabelo (PSDB) do vereador Anderson Arry (PSDB) e do vereador e ex-presidente da Câmara, Tiago Gomes de Oliveira, o Tiago do Zico.

Leia a nota:

No dia de hoje foi cumprido mandado de busca e apreensão no endereço residencial do Sr Tiago Gomes de Oliveira (Tiago do Zico), e também em seu gabinete na Câmara Municipal, na intitulada “Operação Tangentopoli”.

Trata-se de procedimento investigatório conduzido pelo Ministério Público Estadual com objetivo de apurar possível prática de corrupção passiva. A defesa ainda não obteve acesso aos autos da referida operação, porém, se sabe que decorre de representação já oferecida pelo Ministério Público, mediante denúncia de corrupção passiva infundada apresentada pelo Executivo Municipal, no ano de 2021, cuja resposta à acusação foi prontamente apresentada à Justiça no último dia 31 de julho, e que sem dúvida apontará cabalmente a inocência de Tiago.

Em relação ao valor de R$ 88.400,00 apreendido em espécie em sua residência, trata-se de origem comprovadamente licita

Em relação ao valor de R$ 88.400,00 apreendido em espécie em sua residência, trata-se de origem comprovadamente lícita, fruto de árduo trabalho de quase duas décadas, que foram sacados recentemente de caderneta de poupança para integração de capital de giro nas atividades empresariais de Tiago, devidamente comprovado em farta documentação e extrato bancário, uma vez que a conta corrente de sua empresa se encontra bloqueada para movimentação desde março deste ano, em virtude de decisão judicial interlocutória em uma ação de Medidas Protetivas em trâmite nessa Comarca, e também pelo curso de uma ação de Dissolução de União Estável, que tramita em segredo de justiça.
Tiago confia que toda a situação será prontamente esclarecida. e acredita plenamente na Justiça, reafirmando sua inocência a qualquer fato ilícito que lhe seja atribuído.
Ribas do Rio Pardo/MS, em 16 de agosto de 2023.