‘Este é o maior desafio da minha vida’, assumiu o governador Eduardo Riedel (PSDB) ao tomar posse neste domingo (1º) na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul). O governador iniciou o discurso agradecendo aos familiares e garantiu querer uma administração eficiente para que o Estado não seja um ‘fardo para a população’.

“Vou trabalhar de forma obsessiva para garantir eficiência para a sociedade que contribui com impostos. O Estado não pode ser um fardo para a população, para quem trabalha e para quem quer crescer e mudar de vida”.

Riedel reafirmou seu compromisso de agir com honra e integridade. “Esse é um valor repassado pelo meu pai e minha mãe, a crença primordial de viver com honra e integridade. Colocar a cabeça no travesseiro e dormir. Governar com a máxima a transparecia tratar com reverência cada centavo do dinheiro público”.

Para o governador, a população é o único motivo que justifica a existência da administração pública e deve ser o foco da gestão. “Vamos ter forte apreço pela equidade, mais justiça solidária e serpa nosso dever assistir aos mais vulneráveis, sem compactuar com a potencialização da extrema pobreza”.

Sobre os destaques da gestão de Reinaldo, Riedel ressaltou que é possível transformar em ativos para o Estado. Como o gás carbônico, por exemplo. “Isso dá para monetizar, trazer renda e dividendos para a nossa gente. E isso precisa funcionar em cada um dos 79 municípios, com ajuda dos nossos prefeitos e prefeitas”.

O governador empossado agradeceu a esposa, primeira-dama Mônica Riedel, irmãos, filhos, pais e sobrinhos. “Cada uma, mesmo com suas vidas profissionais, compartilhando ainda assim decisões difíceis. A vocês o meu reconhecimento e à Fátima, a sua liderança e capacidade de aglutinar”.

Riedel finalizou o discurso afirmando que este é o maior desafio da vida dele. “Quero que saibam este é o maior desafio de toda a minha vida. A ele vou me entregar de corpo e alma, honrar cada fato. Prontos para começar um novo ciclo, com companheiros nessa jornada que pede aliados permanentes”.