A Professora Eugênia Portela, não é mais um nome do PT a concorrer como pré-candidata à prefeitura de Campo Grande pelo partido nas eleições de 2024. O anúncio foi feito por ela nesta sexta-feira (22).

Portela disse que após uma reunião com a Setorial de Combate ao Racismo, abdicou da pré-candidatura pela majoritária em prol da unidade negra.

“Acredito que o PT está em um momento favorável para conduzir a campanha até 2024, e a candidatura de duas mulheres negras gerou debates essenciais sobre o racismo estrutural. Continuarei lutando pelo respeito às mulheres e candidaturas negras no partido, além do cumprimento da lei de cotas e financiamento das campanhas”, disse.

A Professora ainda adiantou que vai concorrer a uma cadeira na Câmara dos Vereadores de Campo Grande nas eleições municipais do ano que vem.

Plenária

O PT (Partido dos Trabalhadores) realiza plenária para discutir a organização partidária às 8h deste sábado (23), na Câmara de Campo Grande. O partido teve impasse com os nomes cotados para disputar as eleições municipais de 2024.

Na publicação de divulgação do evento, o PT pede doações de doces e brinquedos e que membros levem ‘mais treze’ na reunião de hoje, que acontece na Casa de Leis.

Os nomes pretendidos da sigla para concorrer à Prefeitura de Campo Grande, são da ex-candidata ao Governo do Estado Giselle Marques, Bartolina Catanante e da Deputada Federal Camila Jara (PT).

Coordenador da bancada federal de Mato Grosso do Sul, o deputado federal Vander Loubet (PT) afirmou em evento do Novo PAC em Campo Grande que a deputada federal Camila Jara (PT) é o nome que deve ser anunciado neste sábado. O parlamentar também disse que Jara tem o apoio do presidente Lula para concorrer à prefeitura da Capital em 2024, mas que cabe ao PT avaliar.

“Cabe ao PT avaliar. Ela é nossa pré-candidata. A eleição de Campo Grande é em dois turnos. Camila tem o apoio do Lula, mas cabe ao PT avaliar”, afirmou.

Impasse

No último dia 20 de setembro, Giselle Marques emitiu uma nota após o PT de Campo Grande colocar o nome da deputada federal Camila Jara em resolução para que a plenária do partido aprove ou não.

Segundo Giselle, “cabe à base e à militância partidária analisar essa decisão, democratizando o debate e propiciando que os filiados e militantes também participem dessa escolha, mediante as prévias, como tem sido a prática histórica do maior partido operário da América Latina”.

Isso porque na última quarta-feira, após reunião do diretório municipal, o partido não conseguiu entrar em um acordo entre os nomes disponíveis para concorrer a cadeira da prefeitura em 2024. O PT divulgou uma resolução que deverá ser analisada em plenário neste sábado.

Nela, só consta o nome da deputada federal Camila Jara. “Tentamos o consenso antes da plenária, mas não aconteceu. Mas esse consenso pode acontecer até a abertura do evento no sábado. Tudo pode ser conversado”, afirmou o presidente do diretório municipal Agamenon Rodrigues.