O deputado estadual Pedro Kemp (PT) criticou a continuidade dos exames do TAF da Polícia Militar nas mesmas condições mesmo após um candidato morrer depois de passar mal durante a prova, que foi realizada sob sol quente e .

O parlamentar apresentou para proibir provas físicas de concursos entre 10h e 16h.

O rapaz sofreu desidratação profunda após ficar 7 horas sem poder beber água. “Realizou a prova no horário mais quente do dia. Sem água, sem comer, demorou para ser atendido. Apesar de socorrido, não resistiu”, lamentou o deputado.

Kemp continuou, criticando o fato da organização do concurso ter seguido com os testes nos mesmos moldes do aplicado no 1º dia. “Essa morte nos coloca em reflexão. Esse jovem faleceu e no dia seguinte continuaram os testes nas mesmas condições, onde cinco passaram mal. Ao total, tivemos 20 candidatos que passaram mal e foram socorridos. O TAF não pode ser um teste de sobrevivência, para saber quem morre ou quem vive”, pontuou.

O presidente da Casa, (PP), pediu ponderação. “Nos solidarizamos com a família [do Arthur], foi uma tragédia. Mas não podemos condenar antes de ouvir esses profissionais que aplicam o TAF há tantos anos”.

Porém, Kemp disse que a intenção do projeto não é condenar, mas regularizar as condições do teste.

Por fim, o deputado Lídio Lopes (Patriota) parabenizou Kemp pelo projeto. “Mais que pessoas aprovadas, precisamos poupar vidas. O projeto do senhor agora será avaliado pelas comissões e deverá ser levado em consideração as condições climáticas, dentre outros fatores. Os revezamentos exigem demais dos candidatos”, completou.

Morte de candidato após TAF em concurso da PM

Arthur Matheus Martins Rosa, que passou mal na prova do TAF (Teste de Aptidão Física) nesta quinta-feira (3), morreu após desmaiar durante o exercício. Imagens divulgadas revelaram a exaustão dos participantes diante de calor e baixa umidade do ar em Campo Grande.

A assessoria de imprensa da banca examinadora responsável pelo concurso, o Idecan (Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional) disse que a prova seria padrão para concursos do Corpo de Bombeiros e policiais.

Em vídeos repassados ao Jornal Midiamax, vários candidatos desmaiaram durante a prova que aconteceu no Centro Olímpico da Vila Nasser, sob sol forte. A cidade enfrenta índices críticos de umidade relativa do ar, que, segundo o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), varia de 10% a 30%.

O teste de aptidão é a 4ª fase do concurso da PM, que aconteceu até sábado (5), com resultado publicado no dia 31 de agosto.