O governador de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel (PSDB), deve se reunir com o ministro das Cidades, Jader Filho, para definir o Minha Casa, Minha Vida no Estado. A ministra do Planejamento, Simone Tebet, adiantou a agenda nesta quarta-feira (29).

“Na outra semana, sem ser nessa próxima, na outra, já estou agendando para ele [Eduardo Riedel] com o ministro das Cidades. Para que Mato Grosso do Sul seja o mais rápido possível contemplado com o Minha Casa, Minha Vida faixa 1”, afirmou.

Na terça-feira (28), a ministra sul-mato-grossense participou de painel na Marcha em Brasília em Defesa dos Municípios, organizada pela CNM (Confederação Nacional dos Municípios). Assim, recebeu convite para conversar com os prefeitos e vereadores de Mato Grosso do Sul.

Nesta quarta-feira (29), conversou com os gestores das cidades de MS e destacou passos para implementação do Minha Casa, Minha Vida nos municípios. “Preparem terrenos, vocês precisam de terrenos e quanto mais próximos a gente arruma, não jogar as pessoas para muito distante é importante”, aconselhou.

R$ 10 bilhões para o Minha Casa Minha Vida

Segundo ela, a PEC que define o programa prevê ‘R$ 10 bilhões para dar o pontapé inicial’. Simone criticou a gestão anterior, do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). “Em quatro anos, o faixa 1 foi interrompido, então recomeçar não é tarefa fácil”, disse.

Assim, destacou que “o faixa 1 agora tem um diferencial, ele contempla também quem ganha até dois salários mínimos”. Contudo, afirmou que se mantém a prioridade para famílias com menos renda.

“Óbvio que a gente sempre olha os mais pequenininhos, os que mais precisam, mas excepcionalmente, uma família que ganha dois salários mínimos, tem 10 filhos, sete filhos, e merecem ser contemplados”, explicou.

Por fim, Simone garantiu que o dinheiro do programa já está reservado. “Só para deixar claro que o dinheiro já está lá, todos os municípios que apresentarem primeiro, que falarem que tem infra, que tem o terreno, quem chega primeiro, bebe água limpa”, pontuou.