O deputado federal Marcos Pollon (PL) publicou nota de repúdio contra a fala do vereador de , André Luís (Rede). “Irresponsabilidade sem tamanho”, disse o deputado após o vereador chamar policiais militares de de ‘gordos depressivos’.

“Quero expressar minha indignação em relação a um vídeo circulando por aí, onde o tal vereador André Luís de Campo Grande resolveu falar sem base nenhuma sobre o trabalho dos policiais militares de Mato Grosso do Sul. É de dar o nível de desconhecimento desse sujeito”, afirmou o deputado.

Na nota de repúdio, ele destacou o trabalho dos policiais e criticou a fala do vereador André Luís. “O mais irônico é que um político, que supostamente deveria estar criando leis e soluções para a segurança pública, prefere atacar quem está no front, lidando com a criminalidade e a insegurança. Isso é de uma irresponsabilidade sem tamanho”, disse.

Também deputado federal, Rodolfo Nogueira (PL) protocolou moção de repúdio na dos Deputados. O requerimento é contra “as reprováveis falas do vereador André Luís (Rede) durante sessão na Câmara Municipal de Campo Grande”.

Fala do vereador

Na ocasião, André Luis usava a tribuna para falar sobre segurança pública, quando disparou: “Não basta ficar passeando numa caminhonete 4×4 com quatro policiais dentro do carro, e lá no centro da avenida não tem ninguém. Não adianta o Estado fazer concurso para 700 policiais, porque não tem 700 salas com ar-condicionado em Campo Grande. Policial tem que estar na rua, o policiamento é ostensivo. Não basta ter policiamento, é preciso que a gente tenha sensação de segurança, e a sensação de segurança é policial da rua”.

Em seguida, disse ainda, que “não é um grupo de 10 na esquina mexendo no WhatsApp, é um policial para cada oito quarteirões, isso que vai trazer sensação de segurança. Então, não basta concurso público, falar que gastamos milhões, em armamento, viatura, se a gente não vê policiais. Graças a Deus, Campo Grande é protegida por Deus”, continuou.

“Não adianta concurso público para colocar policial de mesa em administrativo, tá tudo gordo, barrigudo, com depressão porque não tem o que fazer. Bota na rua, fica todo mundo ‘magrelinho’, todo mundo perde a depressão e começa a ter uma produção para cidade”, completou ele.

Confira a nota completa de Pollon: