Exonerado da Sectur (Secretaria de Cultura e Turismo de Campo Grande) nesta segunda-feira (9), Max Freitas vai assumir a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, a convite do governador Eduardo Riedel (PSDB). A confirmação foi feita pelo próprio, durante agenda com a prefeita Adriane Lopes (Patriota).

A nomeação dele no Governo do Estado deve sair ainda hoje, em edição extra. Ele afirma que vai manter festivais como Campão Cultural, de Inverno de Bonito e o da América do Sul, em Corumbá. Este, no entanto, deve ganhar um novo nome.

“Será uma proposta, leitura e nome novos, queremos trazer mais a cara do corumbaense”. Além disso, o futuro presidente de Cultura de MS quer fortalecer, dinamizar, incentivar e fomentar a criação cultural, bem como premiar produções, criar oficinas e treinamentos em todas as áreas do setor.

Sobre o FIC (Fundo de Investimentos Culturais), Max afirmou que a ideia é republicar o edital e antecipar as fases. “Temos pressa”. O ex-secretário ficou à frente da Sectur por quase três anos.

Adriane Lopes afirmou que já pediu para sua equipe sugestões de pessoas para assumir o cargo que, por enquanto, segue vago.