Os deputados estaduais de Mato Grosso do Sul fizeram um minuto de silêncio nesta quarta-feira (1º) durante a sessão em respeito às vítimas de feminicídio deste ano no Estado. Foram quatro casos em menos de 60 dias.

Na terça-feira (28), Albina foi morta a facadas pelo ex-marido, que está preso. O crime aconteceu quando a vítima seguia para o trabalho, em uma escola municipal no Nova Lima. No caminho, o ex-marido discutiu e também agrediu a vítima.

O deputado estadual Rinaldo Modesto (Podemos) questionou mais um caso, apesar de muitas políticas públicas. “Lamentamos mais um caso. E justo hoje que estamos entrando em um mês dedicado às mulheres”.

Presidente da Casa, Gerson Claro (PP) afirmou que vai entrar em contato com todos os poderes neste mês para que juntos desenvolvam uma campanha de conscientização.

A deputada Lia Nogueira () lamentou que Albina tinha uma medida protetiva contra o ex-marido. “Não valeu de nada. Essa é uma questão a ser tratada com crianças e adolescentes, para crescerem já educadas”, afirmou.

O caso

O crime aconteceu na terça-feira (28), quando a vítima seguia para o trabalho, em uma escola municipal no Nova Lima. No caminho, o ex-marido discutiu e também agrediu a vítima.

Quando ela parou nas proximidades de um açougue, foi novamente abordada pelo ex-marido. Armado com uma faca, ele atingiu Albina várias vezes.

Ela ainda foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), encaminhada para a . No entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu após uma parada cardiorrespiratória.

Respondeu por injúria e ameaça

Há pouco mais de um mês, em 23 de janeiro, o autor do crime foi denunciado por um motorista de aplicativo. Na ocasião, ele estava acompanhado de Albina.

Conforme detalhes do registro, feito na 3ª Delegacia de Polícia Civil, no trajeto o autor ameaçou o motorista. Ele teria dito para a vítima fazer uma outra rota, mas o motorista explicou que precisava seguir o GPS do aplicativo.

Então, o homem foi xingado e ameaçado pelo suspeito, que foi deixado em um ponto de ônibus. Albina o acompanhava e tentou acalmar a situação, sendo que precisou fazer o pagamento da .

Além disso, o autor também tem outras passagens por violência doméstica.

Saiba Mais