Na quinta-feira (27), membros do Ceca (Conselho Estadual de Controle Ambiental) se reuniram e aprovaram a emissão da licença prévia para construção de um terminal portuário nas margens do rio Paraguai. O local compreende o Porto Esperança, em Corumbá.

Conforme divulgado pelo Conselho, o Terminal Portuário Paraíso deve ocupar uma área de 100 hectares. Previsão de início das operações é 2025. A obra pertence à Companhia de Investimentos do Centro-Oeste que vai construir, também, outro porto na cidade de Cáceres, Mato Grosso.

O processo teve aval favorável da área técnica do (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul). O instituto realizou os estudos para avaliar e compensar possíveis impactos ambientais.

O conselheiro Pedro Celso de Oliveira Fernandes, da Seilog (Secretaria de Infraestrutura e Logística), que relatou o processo, destacou a pavimentação do acesso que liga a ao Porto Albuquerque. A obra é feita pelo Governo do Estado e deve encerrar em setembro.

Assim, a estratégia da Centro-Oeste Investimentos é conjugar os dois terminais (Corumbá e Cáceres) no transporte de grãos de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, para serem exportados pelo Oceano Atlântico.

Já no sentido inverso, trazer fertilizantes para o mercado interno dos dois Estados. As operações devem se iniciar em 2025 com o transporte de 600 mil toneladas e em 5 anos podem chegar a 1,25 milhão de toneladas de grãos.

Ainda nessa reunião, por maioria, os conselheiros do Ceca rejeitaram recurso contra parecer do Imasul, que negou licença para construção de uma PCH (Pequena Central Hidrelétrica) na Bacia do Rio Taquari.

Por unanimidade, também indeferiram um pedido de renovação de Licença Ambiental para comercial.