Após ter requerimento derrubado na Assembleia Legislativa onde pedia ao Governo do Estado informações e providências sobre o bloqueio causado por manifestantes na BR-163, em Campo Grande, no dia 23 de outubro, o deputado Rafael Tavares (PRTB) protocolou nova solicitação.

No primeiro requerimento apresentado pelo parlamentar, havia trecho que citava que o MPL (Movimento Popular de Lutas) teria suposta ‘ligação desses membros e organizações com parlamentares e filiados do Partido dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul’.

tavares
Deputado estadual Rafael Tavares (Nathalia Alcântara, Midiamax)

No plenário, o deputado Pedro Kemp (PT) chegou a rebater o colega, afirmando que o partido não tinha nenhuma relação com o grupo. “Respondendo essa sua insinuação, que tem relação com o PT, o movimento não tem nada relacionado com o PT”, disse Kemp.

O requerimento em questão foi votado em sessão plenária do dia 26 de outubro e Kemp pediu que os colegas rejeitassem por conta da relação que Tavares fez do movimento com o partido político. Sob orientação dos líderes dos blocos, o requerimento recebeu 15 negativas dos deputados e apenas dois votos favoráveis.

Nesta terça-feira (31), Rafael Tavares protocolou novo requerimento com a mesma solicitação ao governo, mas removeu trecho em que citava o Partido dos Trabalhadores. “Informações sobre quais medidas estão sendo adotadas pelo Estado de Mato Grosso do Sul para lidar com os bloqueios nas rodovias que estão cada vez mais constantes e quais as medidas de punição aos envolvidos”, pontua trecho.

No novo requerimento, o parlamentar agora pede que o governo detalhe se houve impactos financeiros ao Estado durante as horas de bloqueio nas rodovias.