A ministra Simone Tebet (MDB), que finaliza seu mandato como senadora, defendeu novamente a suspensão da venda da fábrica de fertilizantes UFN-III, em Três Lagoas. Acrescentou, ainda, que a Petrobras poderá agora concluir a indústria, tocá-la ou, ainda, colocar à venda.

De acordo com a ministra, a unidade da Petrobras deverá suprir a produção nacional de fertilizantes, “reduzindo a nossa dependência de importados e aumentando os empregos no país”. Simone era prefeita de Três Lagoas quando cedeu o terreno onde a Petrobras construiu a unidade.

A ministra também se envolveu diretamente nas tentativas de impedir que a empresa russa Acron adquirisse a UFN-III. Ela fez a denúncia de que a licitação tinha previsto apenas que a empresa vencedora utilizasse a fábrica como misturadora.

“O que significa que ela não precisaria produzir fertilizantes, não geraria os empregos diretos e indiretos que são tão necessários para a cidade e para o nosso Estado”.

O novo presidente da Petrobras é Jean Paul Pratres (PT/RN), a quem Simone Tebet atribui ‘extrema competência’. “Ele tem consciência da importância dessa fábrica”.

Quando concluída, a unidade UFN-III terá a capacidade de dobrar a produção nacional de fertilizantes. A fábrica teve sua pedra fundamental em 2010, quando Simone Tebet era prefeita de Três Lagoas.

*Com assessoria