A pré-candidata à presidência da república, (MDB), condenou, nesta quarta-feira (29), a prática de assédio sexual do ex-presidente da Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Tebet defendeu uma Moção de repúdio em respeito às inúmeras brasileiras que sofrem com este crime no ambiente de trabalho. No entanto, lamentou que a maioria das mulheres “ferem a sua dignidade” porque não têm condições de ficar sem e comprometer o sustento de suas famílias.

“Lamentavelmente nós temos casos e não são poucos. 15%, apenas, das mulheres pedem demissão, quando quem deveria ser demitido é o agressor”, disse a parlamentar, constatando que tal assédio abala psicológica e moralmente as mulheres.

Ao longo do seu discurso no qual cobrava a demissão de Pedro Guimarães, a senadora foi informada de que Pedro Guimarães tinha acabado de pedir demissão. Mesmo assim, ela manteve o pedido de Moção de Repúdio do Senado Federal. Também pediu a aprovação pela Câmara, do projeto que prevê multa para empresas que desrespeitarem a igualdade salarial entre homens e mulheres que exercem a mesma função e a mesma carga horária.