'É contraditório', avalia vereador Juari sobre Nelsinho ser testemunha de defesa do Consórcio Guaicurus

"Como alguém que concede o contrato fica de testemunha da própria empresa?", questionou.
| 24/06/2022
- 17:20
'É contraditório', avalia vereador Juari sobre Nelsinho ser testemunha de defesa do Consórcio Guaicurus
Vereador Professor Juari (Foto: Divulgação / Câmara de CG)

O vereador professor Juari (PSDB) acredita ser contraditório o senador e ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PSD), ser chamado para testemunhar a favor do Consórcio Guaicurus em audiência que dá início ao julgamento que analisa a legalidade do contrato de concessão, firmado no 'apagar das luzes' do mandato do então prefeito da Capital.

"É contraditório, pois foi no período de reeleição dele que foi operado o contrato com o Consórcio. Como alguém que concede o contrato fica de testemunha da própria empresa?", questiona o vereador.

Reportagem do Jornal Midiamax revelou que Nelsinho Trad é uma das cinco testemunhas de defesa do , venceu licitação que deu ao grupo de empresas o direito de faturar até R$ 3,4 bilhões explorando o transporte da cidade durante 20 anos.

consórcio nelsinho
Nelsinho Trad, prefeito de Campo Grande na época que Consórcio Guaicurus venceu licitação (Foto: Acervo Assecom, PMCG)

Processo começou com investigação do MPMS

A audiência de instrução e julgamento será presidida pelo juiz Ariovaldo Nantes Corrêa, da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos. O julgamento é o desfecho de um processo de investigação iniciado em 2019 pelo MPMS (Ministério Público Estadual) e que chegou ao Judiciário em setembro de 2020, em forma de ação civil pública.

No processo, o Ministério Público elencou uma série de irregularidades identificadas durante a investigação e que, na visão da 30ª Promotoria de Justiça de Campo Grande, são suficientes para anulação do contrato.

Entre as testemunhas de defesa do Consórcio Guaicurus, ou seja,  que apresentarão informações que o grupo de empresas julga como determinantes para provar que não houve irregularidade no processo de licitação, estão, além do ex-prefeito Nelsinho Trad, Marcelo Luiz Bonfim do Amaral (diretor-presidente da à época da licitação), Bertholdo Figueiró Filho (presidente da comissão de licitação à época), João Rezende Filho (diretor do Consórcio Guaicurus) e, por último, o senador Nelson Trad Filho, prefeito de Campo Grande entre os anos de 2005 e 2012, ou seja, em todo o período em que a licitação de concessão foi elaborada, lançada e vencida pelo Consórcio Guaicurus.

Das quatro testemunhas indicadas pelo grupo de empresas, três já foram intimadas, mas o senador Nelsinho, conforme informou a defesa do Consórcio nesta quinta-feira (23), deverá ser notificado por intimação judicial em razão do mandato de senador.

Veja também

Tânia Gabrib teve a candidatura registrada como vice de André

Últimas notícias