Dos 79 municípios de MS, apenas quatro definiram o reajuste salarial dos professores da Reme

Angélica, Maracaju, Jateí e Ribas do Rio Pardo foram os municípios que apresentaram a lei e a tabela de reajuste salarial da classe
| 21/02/2022
- 18:22
Imagem ilustrativa

Com o retorno das Câmaras municipais, as prefeituras começaram  as negociações com os sindicatos dos servidores públicos, preferencialmente com os profissionais da educação para acordar o valor do reajuste anual dos salários. Dos 79 municípios do MS, apenas quatro apresentaram a aprovação na lei e a tabela de valores, que gira em média de 33,24%. 

Segundo a vice-presidenta da (Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul), Deumeires Morais, os municípios ainda seguem em negociação com sindicatos municipais para definirem o valor, considerando os pontos apontados pelas duas partes. No entanto, enquanto uns ainda conversam, outros já pontuaram a situação e só dependem da aprovação do legislativo para estipular definitivamente o valor para a classe. 

"Alguns municípios seguem em negociação, como Caarapó, Nova Alvorada, entre outros. Como assim também uns que já apresentaram a proposta na Câmara, mas ainda não aprovaram a lei. O valor médio desse valor de reajuste fica entre 33,24%, acordado entre as prefeituras e os sindicatos, então algumas cidades já pagam o salário do professor acima do piso e esse acréscimo entra como um complemento", pontuou. 

Deumireis destacou que as prefeituras optam por dividir o valor em duas partes, aplicando uma parte no primeiro semestre e a outra no segundo semestre. Então de janeiro a julho de 2022, o salário virá com até 15% de acréscimo e após isso com total de reajuste. "Esse é um exemplo, quando te falei em escalonamento. Mas tivemos municípios que já vão aplicar os 33,24 de imediato. Os municípios têm realidades diferentes, alguns já pagam acima do piso e o valor do reajuste será um percentual para completar", pontuou.

Projetos 

A volta das Câmaras auxiliará as prefeituras  e colocará celeridade nos projetos protocolados pelo de cada município. Além disso, outra pauta que vem discutida é do reajuste salarial dos servidores municipais, acordando a porcentagem média com a realidade de cada cidade e não extrapolando o teto de gasto dos cofres. 

Convocados x Governo

A vice-presidenta da Fetems adiantou também que a federação irá se reunir com o Governo do Estado para escutar as propostas para os professores comissionados, fechando as negociações quanto ao reajuste salarial dos convocados e os efetivos, que ainda não havia sido regularizado. 

Veja também

Município foi condenado ao pagamento de indenizações por danos morais e materiais

Últimas notícias