Política

Vereador do DEM, agora unido ao PSL, reclama de decisões unilaterais no União Brasil de MS

Professor Riverton disse que, ainda sem reuniões feitas, já há lançamento de candidata ao governo

Mayara Bueno Publicado em 19/10/2021, às 09h47

Vereador Professor Riverton, do DEM.
Vereador Professor Riverton, do DEM. - (Foto: Izaías Medeiros, CMCG, Arquivo)

Vereador do DEM, que se fundiu com o PSL na semana passada, Professor Riverton reclamou na Câmara Municipal de Campo Grande, nesta terça-feira (19), sobre a condução do partido, que ainda não foi homologado, até agora. Para ele, o chamado União Brasil vai acabar se chamando Separa MS. 

"Pessoas vêm se nomeando donas do partido, lançando candidata ao Governo do Estado, sem conversar. Partidos precisam de diálogo, ninguém conversou com ninguém e vem tomando atitudes unilaterais". 

Pediu que os integrantes do DEM e PSL se fortaleçam e não se separem. Além dele, o vereador Sílvio Pitu compõe o DEM, atualmente, na Câmara Municipal de Campo Grande. Do segundo partido, tem o vereador Coronel Alírio Villasanti.

Riverton não citou nomes, mas a senadora Soraya Thronicke, que preside o PSL em Mato Grosso do Sul, disse que a deputada federal Rose Modesto (PSDB) seria a pessoa para disputar o governo estadual pelo União Brasil. No entanto, ela precisa deixar o ninho tucano na janela partidária de 2022. 

A expectativa é que a fusão forme a maior legenda do Brasil, embora o processo possa levar à saída de vários filiados. A Justiça Eleitoral ainda precisa validar a medida, o que pode levar três meses.

Jornal Midiamax