Política

Simone atribui ao ‘dever do trabalho’ posse de Rocha durante discussão de candidatura à Presidência

O agora ex-parlamentar, que é seu marido, assumiu a Segov no governo de Reinaldo Azambuja (PSDB)

Mayara Bueno e Renata Volpe Publicado em 03/12/2021, às 11h46 - Atualizado às 11h57

Senadora Simone Tebet, do MDB de MS, durante posse de Eduardo Rocha.
Senadora Simone Tebet, do MDB de MS, durante posse de Eduardo Rocha. - (Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax)

Senadora de Mato Grosso do Sul e cotada como candidata à presidência da República em 2022, Simone Tebet (MDB) diz que a ida do deputado estadual Eduardo Rocha (MDB) para o Governo do Estado 'faz parte do trabalho'. O agora ex-parlamentar, que é seu marido, assumiu, nesta sexta-feira (3), a Segov (Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica do Mato Grosso do Sul) na gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB).

"Quando Eduardo me perguntou se ia me atrapalhar no Senado, eu disse que era nosso trabalho", afirmou durante discurso nesta manhã. Simone é frequentemente citada como possível nome para disputa à sucessão presidencial. Antes, disse que o novo secretário 'encarna' a boa política, uma vez que está no dia a dia conversando com as pessoas, ouvindo-as. 

Em seu discurso, Rocha disse que vai para o governo aprender. "Não tenho vergonha disso, gosto de trabalhar. Passamos por momentos difíceis, por anos, tivemos projetos que a população não entendia, mas a Assembleia e o governador tiveram coragem de ajustar". 

Ainda nesta sexta-feira, Marco Aurélio Santillo (DEM) assumiu cargo de secretário especial de Articulação Política. Ele é secretário-geral do Democratas e braço direito da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina (DEM). 

No lugar de Eduardo Rocha na Assembleia Legislativa, assumiu Paulo Duarte, também do MDB, que já foi deputado estadual e prefeito de Corumbá anteriormente.

Jornal Midiamax