Política

'Se precisar, vamos chamar', diz autor de pedido de CPI do Consórcio Guaicurus sobre MPMS

Requerimento sobre investigação foi entregue na Câmara Municipal de Campo Grande

Mayara Bueno Publicado em 05/08/2021, às 08h53

Vereador Marcos Tabosa (PDT) durante a primeira sessão do 2º semestre da Câmara Municipal.
Vereador Marcos Tabosa (PDT) durante a primeira sessão do 2º semestre da Câmara Municipal. - (Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax)

'Se precisar, vamos chamar', disse o vereador Marcos Tabosa (PDT), sobre o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) ser convidado a participar de alguma forma na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Consórcio Guaicurus, que pode ser criada na Câmara Municipal de Campo Grande. 

"Acredito que o procurador [da Câmara] deve dar parecer favorável. Vamos a fundo, se precisar chamar quem for para somar, vai ser. Nós vamos apurar de ponta a ponta a saúde financeira do consórcio. Tudo vai ser investigado por meio da CPI". Nesta quarta-feira (4), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse que não se opõe à apuração e que outros órgãos, como o MP, devem ser chamados.

CPI do Consórcio Guaicurus

Com aval de 14 dos 29 vereadores de Campo Grande, a CPI do Consórcio Guaicurus nunca esteve tão próxima de se tornar realidade na Câmara Municipal - são necessárias pelo menos 10 assinaturas e, na legislatura anterior, apurações como esta esbarravam justamente no apoio dos parlamentares. Requerimento com o pedido foi entregue pelo vereador Marcos Tabosa (PDT) durante a primeira sessão do 2º semestre, na terça-feira (3).

Agora, o texto é analisado pelo jurídico da Casa de Leis quanto ao cumprimento das exigências, que incluem também o fato determinado, ou seja, a definição do escopo da apuração. São, pelo menos, três itens que, em tese, formam o fato determinado da investigação. De acordo com o requerimento, o fato central da CPI é: apurar denúncias sobre a má prestação de serviços ao usuário de transporte coletivo, descumprimento de contrato e termo de ajustamento de gestão, bem como o resultado financeiro do Consórcio Guaicurus.

Jornal Midiamax