Política

Riedel diz que decisão de Reinaldo sobre Infraestrutura sai até fim de semana

Cotado para assumir a Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), o secretário da Segov (Secretaria de Governo e Gestão Estratégica de Mato Grosso do Sul), Eduardo Riedel, reiterou que a decisão sobre o assunto é ‘personalíssima’ do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e que a deliberação deve sair até o fim desta semana. “Temos que tocar […]

Mayara Bueno Publicado em 17/02/2021, às 12h24 - Atualizado em 18/02/2021, às 08h27

Eduardo Riedel, secretário de Governo de MS. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax, Arquivo).
Eduardo Riedel, secretário de Governo de MS. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax, Arquivo). - Eduardo Riedel, secretário de Governo de MS. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax, Arquivo).

Cotado para assumir a Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), o secretário da Segov (Secretaria de Governo e Gestão Estratégica de Mato Grosso do Sul), Eduardo Riedel, reiterou que a decisão sobre o assunto é ‘personalíssima’ do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e que a deliberação deve sair até o fim desta semana.

“Temos que tocar o barco. O governador vai tomar uma decisão até o fim de semana”. Riedel também reforçou mais uma vez que, se ‘for da vontade’ de Reinaldo, assume o cargo de secretário da pasta – ele seria um dos principais cotados. Atualmente, Luís Roberto Martins de Araújo, que era secretário-adjunto, está no comando da pasta de Infraestrutura desde 11 de janeiro de 2021, quando o então titular, o vice-governador Murilo Zauith, foi exonerado.

O chefe da Segov é o principal secretário da gestão tucana. Inclusive, está na Alems (Assembleia Legislativa de MS) projeto de lei que altera a estrutura básica do Executivo para subordinar diretamente a Riedel oito subsecretarias.

Na prática, são mais poderes delegados ao titular da Secretaria de Governo –  que já é a maior pasta da gestão tucana. Ao longo da administração, o secretário ganhou espaço, com poderes de demissão, promoção e cada vez mais representação em eventos públicos do governador. Atualmente, a proposta está em análise das comissões da Casa de Leis.

Jornal Midiamax