Política

PSB confirma apoio a Simone e bloco do MDB soma três partidos

O PSB anunciou que vai apoiar a candidatura de Simone Tebet (MDB-MS) à presidência do Senado Federal. A legenda tem um membro na Casa, Leila Barros (DF). “A candidatura inédita de uma mulher à presidência do Senado é um fato histórico. Simone Tebet garantirá independência e autonomia para o Senado e o Congresso Nacional. A […]

Adriel Mattos Publicado em 20/01/2021, às 09h55 - Atualizado às 10h17

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) conversa com senadora Leila Barros (PSB-DF). | Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Senadora Simone Tebet (MDB-MS) conversa com senadora Leila Barros (PSB-DF). | Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado - Senadora Simone Tebet (MDB-MS) conversa com senadora Leila Barros (PSB-DF). | Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O PSB anunciou que vai apoiar a candidatura de Simone Tebet (MDB-MS) à presidência do Senado Federal. A legenda tem um membro na Casa, Leila Barros (DF).

“A candidatura inédita de uma mulher à presidência do Senado é um fato histórico. Simone Tebet garantirá independência e autonomia para o Senado e o Congresso Nacional. A senadora também demonstrou em diversos momentos que tem capacidade para dialogar com diversas lideranças políticas. Por esses motivos, o PSB e a senadora Leila Barros declaram apoio à sua candidatura à Presidência do Senado”, diz nota do partido divulgada nesta quarta-feira (20).

Cidadania e Podemos já aderiram ao bloco do MDB. Por outro lado, seu principal adversário, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), tem amplo arco de apoio e conta ainda com o endosso do presidente da República, Jair Bolsonaro.

“Se o meu adversário já tem uma aliança com vários partidos, eu estou conversando individualmente, senador por senador”, disse Simone ontem, terça-feira (19), durante agenda do candidato à presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (MDB-SP), em Campo Grande.

Como a votação, marcada para 2 de fevereiro, é secreta, Simone e até Pacheco apostam em “traições”, ou seja, que colegas contrariem seus partidos e votem em outro candidato.

Durante entrevista coletiva em Campo Grande, Simone reforçou que sua candidatura não faz oposição ao governo federal, mas que lançou seu nome contra uma eleição de chapa única.

“Não temos a máquina na mão, não temos ministérios, cargos, emendas. Nossa campanha é de ideais, a fim de formar um bloco, uma grande aliança a favor do Brasil”, finalizou.

Jornal Midiamax