Política

Presidente da CPI da Energisa convoca membros da comissão para retomada dos trabalhos

Reunião foi marcada às 16h no prédio da Alems

Renata Volpe Publicado em 17/06/2021, às 09h58

Deputado Felipe Orro (PSDB).
Deputado Felipe Orro (PSDB). - Reprodução

O presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Energisa, deputado estadual Felipe Orro (PSDB), convocou os membros da comissão, para reunião na tarde desta quinta-feira (17), para analisar como deve ser a retomada dos trabalhos.

Segundo Orro anunciou durante a sessão parlamentar remota, a reunião será na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), às 16h. "É uma reunião só entre os membros da CPI para definir os próximos trabalhos e vamos discutir a decisão judicial que foi de vitória e para definirmos os trabalhos daqui para frente”.

Os membros da comissão, são os deputados estaduais: Felipe Orro, Capitão Contar (PSL), Marçal Filho (PSDB), Barbosinha (DEM) e Lucas de Lima (Solidariedade).

Na última quarta-feira (16), o Órgão Especial do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) derrubou os efeitos da liminar concedida à Energisa que impedia a aferição de 200 relógios retirados de residências a fim de conferir a regularidade de seu funcionamento. A decisão, por maioria, deve permitir a continuidade dos trabalhos da CPI da Energisa na Assembleia Legislativa.

A Energisa havia obtido uma liminar impedindo a aferição dos relógios pelo laboratório do campus de São Carlos (SP) da USP (Universidade de São Paulo), sob alegação de a estrutura não ter certificado do Inmetro para tal serviço.

Ontem, em uma decisão apertada que demandou manifestação do presidente, o desembargador Carlos Contar, o Órgão Especial denegou o mérito do pedido da Energisa. Em plenário, houve empate por 5 a 5, o que, por força de lei, levou à rejeição do pedido. Com isso, a Assembleia estaria autorizada a acionar a USP para realizar o trabalho.

A CPI da Energisa foi instaurada em 12 de novembro de 2019 para analisar a prestação de serviço da concessionária de energia elétrica em Mato Grosso do Sul, em meio a reclamações sobre sua qualidade e de aumentos considerados injustificados nas contas de energia elétrica.

Jornal Midiamax