Política

Presidente da Assembleia quer supermercadistas e jornalistas em grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19

Paulo Corrêa solicitou inclusão de profissionais entre os próximos a serem vacinados por conta da exposição diária dos trabalhadores ao coronavírus

Humberto Marques Publicado em 16/06/2021, às 16h34

Paulo Corrêa destacou exposição diária de profissionais aos riscos de contágio do coronavírus
Paulo Corrêa destacou exposição diária de profissionais aos riscos de contágio do coronavírus - Cyro Clemente/Assessoria

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado estadual Paulo Corrêa (PSDB), solicitou em sessão ordinária nesta quarta-feira (16) que os trabalhadores do comércio atacadista e varejista de supermercados e os profissionais de imprensa sejam incluídos no grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19.

Em defesa dos pedidos, Corrêa destacou que, pela natureza de seus ofícios, os profissionais se colocam em risco para o exercício das atividades.

“Em qualquer lugar que a gente vá, em qualquer lugar que a gente esteja, está um jornalista ou uma jornalista. Essas pessoas continuaram trabalhando. São heróis que, de repente, ficam esquecidos”, argumentou, ao considerar ser responsabilidade do Governo adotar medidas visando a redução do contágio entre profissionais de imprensa.

Sobre os trabalhadores do ramo supermercadista, Corrêa destacou que os trabalhadores mantêm contato diário com dezenas de pessoas, mercadorias, cartões e dinheiro, estando assim vulneráveis à contaminação pelo coronavírus.

“Todos os supermercados e atacadistas estão abertos e essas pessoas precisam ser imunizadas. Esperei chegar a 35% de vacinação, quando um a cada três sul-mato-grossenses já está vacinado com pelo menos uma dose, para colocar esses profissionais, principalmente pelos que estão na linha de frente, com tratamento diferenciado em função do atendimento ao público que fazem diariamente’’, reforçou o deputado.

Os também deputados estaduais Herculano Borges (SD), Coronel David (sem partido), Pedro Kemp (PT), Barbosinha (DEM), Amarildo Cruz (PT), Eduardo Rocha (MDB) e Lídio Lopes (Patriota) apoiaram a iniciativa. O pedido foi enviado ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e ao secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende.

Nesta quarta-feira (16), Mato Grosso do Sul registrou mais 67 mortes causadas pelo novo coronavírus, com 1.789 novos casos da doença. O total de óbitos desde o início da pandemia é de 7.636, com 317.621 infectados no período. Este é o sexto dia sem que o Estado receba doses de vacinas do Ministério da Saúde, sendo que 97,5% daquilo que já foi enviado (1.412.662 unidades das 1.447.560) já foi aplicado.

Conforme o Vacinômetro, 1.022.133 pessoas já receberam ao menos uma dose de vacina contra a Covid, o equivalente a 36,38% da população. Destas, 390.665 já receberam duas doses e completaram o ciclo de imunização (13,91% da população).

Com a confirmação da remessa de mais de 70,1 mil doses de vacinas nos próximos dias, o Estado terá recebido 1,5 milhão de imunizantes para a população.

Jornal Midiamax