Política

CPI: Soraya defende Queiroga e nega existência de ‘gabinete paralelo’

Senadora garantiu que ministro da Saúde tem autonomia no enfrentamento à pandemia

Adriel Mattos Publicado em 22/06/2021, às 15h58

None
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) disse nesta terça-feira (22) que não existe um “gabinete paralelo” que orienta as decisões do presidente da República, Jair Bolsonaro, no enfrentamento à pandemia de Covid-19. Em entrevista à CNN Brasil, Soraya garantiu que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, tem autonomia.

“Não há o que se falar sobre gabinete paralelo. É algo que se discute na CPI, mas as decisões que o ministro tem tomado, tudo isso tem sido formalizado pelo Ministério da Saúde”, defendeu.

A parlamentar sul-mato-grossense reforçou que o objetivo da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pandemia é investigar não só a atuação do Governo Federal no combate à doença, mas também a dos estados e municípios. 

“Me recordo do ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta dizer que não recebia informações de alguns secretários estaduais de Saúde. Tenho voltado minhas perguntas para este ponto: quem é que não está colaborando e onde estão falhando? As perguntas não podem ser fora desse escopo”, pontuou.

Soraya, que não é membro da comissão, ampliou sua participação para cobrar a investigação de estados e municípios. O Regimento Interno do Senado permite que qualquer parlamentar possa ouvir e participar dos debates.

A sul-mato-grossense é a única da bancada que assinou o requerimento de Eduardo Girão (Podemos/CE) para que estados e municípios também fossem investigados. Até agora, apenas o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, foi ouvido.

Ontem, segunda-feira (21), a ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu todas as convocações de governador à CPI. O caso ainda deve ser julgado pelo plenário da Corte.

Hoje está sendo ouvido o deputado federal e ex-ministro da Cidadania Osmar Terra (MDB-RS). Ele é apontado como membro do “gabinete paralelo”, uma suposta equipe que fornece dados controversos ou que contrariam o Ministério da Saúde no combate à pandemia. Terra negou a existência desse grupo.

Jornal Midiamax