Política

A 4 dias de eleição suplementar, clima é tenso em Paranhos após indígena ser baleado

Cacique de aldeia foi baleado durante a madrugada desta quarta-feira (29)

Renata Volpe Publicado em 29/09/2021, às 11h40

Eleitores de Paranhos voltam às urnas no próximo dia 3 de outubro
Eleitores de Paranhos voltam às urnas no próximo dia 3 de outubro - Divulgação

Devido à eleição suplementar no município de Paranhos, que acontece no próximo domingo (3), o clima na cidade está pesado e até o cacique da aldeia indígena foi baleado durante a madrugada desta quarta-feira (29).

Durante ronda de rotina na aldeia que tem 5 mil pessoas, na madrugada de hoje, o cacique da aldeia Pirajuí, que não teve o nome divulgado, foi atingido por três tiros, na perna e no braço, por outro indígena. 

As informações foram passadas ao Jornal Midiamax por morador do local, que preferiu não se identificar. Segundo  o rapaz, os casos de Covid-19 cresceram na aldeia e as rondas passaram a ser feitas para controlar a entrada e saída de pessoas. 

Durante a madrugada, um indígena estava voltando de um comício e foi abordado pelo cacique, perto do posto de saúde. “Foram três tiros de calibre 12, mas o cacique se jogou no chão e os ferimentos não foram graves”.

A briga aconteceu porque o cacique apoia partido oposto, conforme o rapaz. No boletim de ocorrência registrado na Delegacia, consta que o cacique já havia denunciado o suspeito por tráfico de drogas. A arma usada no crime é de uma fazenda onde o suspeito trabalha. Segundo a ocorrência, o atirador foi preso.

O prefeito interino, Donizete Viaro (MDB), confirmou que o clima na cidade está pesado por conta das eleições.

São três candidatos que disputam a prefeitura de Paranhos no próximo domingo. Além de Viaro, os eleitores têm a opção de Alfredo Soares (PSDB) e Adelio Cirilio (PT).

A eleição foi convocada após o candidato eleito sub judice, Heliomar Klabunde (PSDB) cair na Lei da Inelegibilidade.

Jornal Midiamax