Política

Bolsonaro deve ser investigado por ‘rachadinha’, diz Dagoberto

O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS) disse que o presidente da República, Jair Bolsonaro, deveria ser investigado no escândalo da “rachadinha”. Reportagem do portal UOL na segunda-feira (16) implicou além dos filhos Carlos e Flávio o presidente, enquanto era deputado federal.  “Se há indícios deve haver investigação. Todos devem ser sujeitos a lei, independentemente do...

Adriel Mattos Publicado em 17/03/2021, às 14h09 - Atualizado às 14h11

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados - Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS) disse que o presidente da República, Jair Bolsonaro, deveria ser investigado no escândalo da “rachadinha”. Reportagem do portal UOL na segunda-feira (16) implicou além dos filhos Carlos e Flávio o presidente, enquanto era deputado federal. 

“Se há indícios deve haver investigação. Todos devem ser sujeitos a lei, independentemente do cargo que exercem, por isso sou contra o foro privilegiado e fui contra a PEC da Impunidade”, declarou o parlamentar.

Entenda

Há indícios de que o esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro também ocorria no gabinete do presidente Jair Bolsonaro enquanto ele era deputado federal e também de Carlos Bolsonaro, enquanto atuava como vereador.

Os dados apontam ainda a existência de transações financeiras suspeitas realizadas pela segunda mulher do presidente, Ana Cristina Siqueira Valle.

De acordo com o UOL, funcionários que trabalharam para Bolsonaro em seu gabinete na Câmara dos Deputados retiraram 72% de seus salários em dinheiro vivo. Eles receberam R$ 764 mil líquidos, entre salários e benefícios.

Procurados desde quarta-feira (10) por email, telefone e mensagem de WhatsApp, Jair, Flávio e Carlos Bolsonaro não responderam aos questionamentos do UOL.

Jornal Midiamax