Política

Até então em estudo, passaporte da vacina também não será exigido em eventos públicos

Segundo prefeito de Campo Grande, a cautela vai pedir que, em grandes eventos particulares, se exija comprovante

Mayara Bueno Publicado em 01/10/2021, às 11h31 - Atualizado às 11h52

Prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad
Prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad - (Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax, arquivo)

Eventos públicos de Campo Grande não exigirão passaporte da vacina contra Covid-19 'neste momento de tempo', segundo o prefeito Marquinhos Trad (PSD). Até então, o chefe do Executivo tinha dito que estudava a possibilidade, enquanto que, para festas particulares, o documento não será exigido.

"Os privados nós deixamos na faculdade dos organizadores. Cada um deles vai tomar sua decisão. Todavia, em eventos de grande aglomeração, a cautela deve sim priorizar apresentação do passaporte". O assunto é discutido em Mato Grosso do Sul, apesar de o governo estadual, que tinha antes anunciado projeto para adoção, afirmar que o comprovante não será exigido.

Na segunda-feira (27), audiência na Câmara Municipal de Campo Grande terminou em confusão entre contrários e favoráveis à medida. O secretário de Saúde de MS, Geraldo Resende, disse na ocasião que lutaria para levar o debate para todas as cidades do Estado.  

Para o prefeito, 'não é apenas a vontade do ser humano, mas a ciência'. "Eu estou aguardando um pouco para ver o que a ciência vai delimitar". Projeto de lei apresentado na Casa de Leis de Campo Grande deve ser retirado, inclusive. Autor do primeiro pedido, vereador Otávio Trad (PSD) disse que, se fosse convencido de que a proposta não será benéfica para população e empresários, desistiria de levar a ideia adiante.

Jornal Midiamax